Mensagens

O língua alemã e as suas declinações

Muito há para fazer sobre as 1001 declinações da língua alemã, mas este post deve-se a um tipo específico de declinação: a n-Declinação.
--- Breve resumo das declinações em alemão:
Existem 3 géneros: masculino, feminino e neutro.
Existem 4 casos: nominativo, acusativo, dativo e genitivo.
Cada caso implica declinações para cada género.
O que é que declina? Artigos defininos, artigos indefinos, artigos negativos, pronomes pessoais, pronomes demonstrativos, pronomes interrogativos, pronomes relativos, adjectivos.... and so on. (acredito que ainda venha a descobrir muitas mais declinações)
Depois de decorarmos a declinação correspondente para cada género, o complicado é acertar no caso certo para cada situação. Temos verbos que só são utilizados com acusativo, outros só com dativo, e depois temos os "mistos". O mesmo se passa com preposições e advérbios. ---
Mas, voltando à n-Declinação....
Como se tudo isto já não bastasse, eis que, no meio de milhentas excepções à regra, aparece ma…

A minha carteira até chora

Finalmente descobri como se diz verniz gel em alemão e decidi voltar a tratar das minhas unhinhas. Longe vai o tempo em que tinha paciência para tratar disso em casa, por isso, desde que vim para Munique, só tinha pintado as unhas umas 2 ou 3 vezes.
Ora, se há coisa que não falta aqui são esteticistas. Aquela modalidade de cabeleireira + esteticista, que existe em Portugal, não se vê por aqui. Há imensos cabeleireiros e depois há imensos salões de unhas (será que posso chamar assim?).
Depois de muito pesquisar na internet, lá me aventurei. Óbvio que já fui mentalizada para pagar bem mais do que aquilo que pagava em Portugal, mas mesmo assim doeu.
25 euros, minhas caras. Vin-te-e-cin-co-eu-ros!
Para mal dos meus pecados (só na questão monetária), as minhas unhas gostam de crescer rápido. Em Portugal, o máximo que conseguia aguentar eram 3 semanas (e já com um crescimento que se via a léguas).
Agora, estou a pedir às alminhas que elas se aguentem 1 mesinho.

1 mês depois...

Eu gostava de vir aqui mais vezes, mas não tem sido fácil. Umas vezes falta tempo, outras vezes falta o que dizer.
Neste último mês, aconteceram algumas coisas:
- Arranjei um Minijob numa loja, para me obrigar a praticar alemão.
- Fui a Portugal, matar algumas saudades.
- Casei uma das minhas melhores amigas, com a honra extra de ser dama de honor.
- Comecei o nível B2 de alemão e, se tudo correr como previsto, daqui a mais ou menos 3 meses devo fazer o exame telc B2.
De resto, a meteorologia alemã já me fez mais confusão. Acho que me estou a habituar a este clima que nos oferece 30º num dia e, no dia seguinte, uma chuva torrencial digna de Noé. Vamos fingir que é tropical.

Igualdade de géneros ou respeito?

Antes de mais, aquilo que aqui escrevo apenas representa a minha opinião pessoal, e a opinião de cada um vale o que vale. Como em tudo, haverá quem concorde e haverá quem discorde. Não tenciono, com este texto, criticar ninguém ou insinuar que a minha visão é mais correcta. ___

Não sou feminista. Sou pelo respeito, isso sim.
Cada vez mais noto que todo e qualquer motivo de indignação tem que ser discutido até à exaustão. E, muitas vezes, os indignados são intolerantes com as opiniões dos outros.
Um dos temas de maior “guerra” é a igualdade de géneros. Na minha opinião, 95% das pessoas que defendem essa igualdade só pensam em direitos iguais para aquilo que lhes convém. Se ainda há várias coisas que precisam mudar? Claro que há. Se eu acho que isso é pela igualdade de géneros? Não vejo dessa forma, vejo como algo que deve ser feito como respeito e igualdade entre as pessoas.
Trocando por miúdos… Existirão sempre diferenças entre as mulheres e os homens. Se essas diferenças ditam que as…

Baby steps

Hoje tive a minha primeira entrevista.
Andava a panicar porque seria em alemão.
Acabou por nem correr muito mal, mas não sei se será suficiente para o lugar e empresa em questão. Seria bom demais conseguir esta oportunidade. Mas o melhor é termos sempre as expectativas baixas, que assim depois não custa tanto.

A merda do cancro

Há 15 anos, não permitiu que me despedisse da minha mãe.
Desta vez não me deixou despedir da minha madrinha.

Há dores que nunca deveríamos reviver.

F*ck what they say

Um dos maiores factos sobre mim: sou imensamente insegura.
Não sou nenhum mulherão, não sou a típica mulher que se destaca no meio da multidão... Nunca o fui e não acredito que algum dia venha a ser.
Se penso desta forma e tenho esta visão sobre mim é pelos meus olhos, não por causa dos outros. Resumindo: não preciso que ninguém me aponte os defeitos porque eu sou a primeira a vê-los. Mesmo assim, quando alguém nos rebaixa, custa. Custa demasiado. E é algo que nunca esqueço, mesmo que não mantenha mais o contacto com aquela pessoa. Como já li várias vezes por aí, uma mulher esquece facilmente os elogios que lhe fazem, mas nunca esquece quando lhe dizem algo que a magoa.
Infelizmente (ou felizmente?), já me cruzei com algumas bestas. Analisando a minha vida até agora, acho mesmo que tenho um íman para filhos da p***. Eles vêm ter comigo, com falinhas mansas, mas no final eu apenas trago comigo todas as coisas que me disseram e que me magoram (e ainda moem).
Sinceramente, tenho os meus…