11.07.2016, uma fome que não se mata, alimenta-se

Sim, eu era uma daquelas pessoas que nem sequer acreditava que a Selecção iria conseguir passar da fase de grupos do Euro 2016. Via os jogos e não conseguia ver um futebol que nos levasse longe. Oh como eu me enganei! E como eu gosto que me contrariem com esta felicidade!

Nunca gostei muito dos franceses (generalizando, vá). Acho que são um povo arrogante, com a mania que são superiores a todos. Depois de tudo aquilo que andaram a dizer nas últimas semanas, já estava com um certo ódiozinho acumulado. Eu acreditava que Portugal conseguiria vencer, mas não tomava por certo. A bola é redonda e, muitas vezes, o futebol é uma questão de sorte.

Quando lesionaram o Cristiano Ronaldo e fizeram com que ele não pudesse terminar a final a jogar, senti que estava ganho. (E, como já disse aqui, eu não sou propriamente fã dele, mas a verdade é que ontem foi um verdadeiro capitão) O que os franceses não sabiam é que nós, portugueses, quando espicaçados, unimo-nos como nunca e ganhamos força que muitas vezes nem sabíamos que a tínhamos. E foi lindo mostrar-lhes isso e deixar um estádio maioritariamente francês sem palavras!


A taça é nossa! E o resto... que sa foda!

Comentários

  1. Parece-me que o factor que desequilibrou o jogo foi mesmo a saída do "Arnaldo". Lá ficou provado que a Selecção é melhor com ele armado em treinador fora do campo do que armado em treinador dentro dele :P
    Olha, só não percebi a última frase. Que se quê? :P

    ResponderEliminar
  2. Os franceses não estavam nada à espera de perder sem o Ronaldo em campo. Se calhar assim a vitória até soube melhor!

    http://carpediemtome.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

1 mês depois...

O língua alemã e as suas declinações

F*ck what they say