05.07.2016, o balanço

Como já tinha falado por aqui, no final de junho terminaria o estágio profissional que estava a fazer. Numa das reuniões mensais do meu departamento, combinámos um almoço no meu último dia e um sunset pós trabalho.

Andei durante umas semanas a desejar que não estivesse demasiado sensível por aqueles dias (felizmente, o meu último dia não coincidiu com a TPM, senão haveria de ser lindo de se ver).

A meio da tarde, ao falar com o colega que ficou responsável por depois entregar o meu tag (o cartão que permite abrir as várias entradas na empresa) nos recursos humanos, ouço um "Amanhã vai custar olhar para o lado e ver a secretária vazia"... O que é suposto dizer, nestas alturas, sem me desfazer em emoções? Como não sei, não lhe consegui responder.

No final do dia, uma colega não podia ir connosco para o sunset e foi a primeira despedida. Foi aquela pessoa que andava há mais de uma semana a dar-me abraços aleatórios e a dizer que gostava muito de mim (não fazem ideia como estas coisas me derretem). Chegou ao pé de mim e, quando olho para ela, estava com os olhos em lágrimas. Só pensei "Não me façam isto, por favor, que assim não consigo aguentar". Não sei como, consegui não me desfazer.

Depois, no tal sunset, como as pessoas foram indo embora uma de cada vez, também foi sendo "fácil" aguentar as emoções. E como tinha combinado mais um jantar com aquele que eu chamo o "grupinho do café", que inclui dois colegas do meu departamento e colegas de outros departamentos", penso que tornou mais fácil aquelas despedidas. Porque, no fundo, eu sentia que ainda não eram as últimas.

Fui jantar e depois ainda fomos beber um copo a um bar perto da empresa. Como no dia seguinte era dia de trabalho para eles, passava pouco da meia noite quando decidimos que estava na hora de ir embora. Mais abraços e beijinhos. A penúltima despedida (do colega que ficou responsável por entregar o meu tag) foi daquelas que custou mais. Basicamente terminou com um "não vou dizer mais nada" e virámos costas, antes que a coisa descambasse.

Ao voltar para casa, passei ao lado da empresa e acho que foi aí que me caiu a ficha. Lembrei-me que já não iria mais para ali e aí custou... muito.

Foram apenas 9 meses, mas foram mais que suficientes para me apegar a pessoas que se tornaram muito queridas para mim. Não tenciono perder o contacto e, nestes dias, tenho falado diariamente com alguns deles. Quem sabe um dia destes volto lá para um visita.

Algo me diz que dificilmente encontrarei outro trabalho que me permita estar rodeada de pessoas espectaculares, como este me permitiu.

But... Life goes on.

Comentários

  1. Em breve irás encontrar algo novo :D

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  2. Os locais de trabalho nem sempre são o melhor local para arranjar amigos. Então neste mundinho competitivo, é cada um por si.
    Como era apenas um estágio, ninguém se sentiu ameaçado... digo eu, que sou bastante cético em relação a amizades laborais. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já estive noutros sítios onde sentia essas "falsas amizades". Neste caso, posso afirmar com confiança que não se tratava disso nem foram assim comigo porque eu apenas estava lá em contexto de estágio profissional. Entre eles, sempre vi esta amizade, que já existia muito antes de eu ter lá chegado. Por saber que não podemos contar com grandes amizades no trabalho, é que digo que dificilmente encontrarei outro sítio assim.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

O língua alemã e as suas declinações

A minha carteira até chora

1 mês depois...