17.06.2016, não sei ser patriota

Em plena época de Europeu de futebol, é habitual que os temas de conversa, por vezes, andem à volta do que se vai passando lá na França.

Eu ando muito desligada disso, confesso. Primeiro, porque não ando com grande vontade para passar o pouco tempo que tenho livre a ver futebol. Segundo, porque não acredito muito na Selecção que temos actualmente.

E agora vou-vos confessar algo que parece que faz de mim uma má portuguesa: não gosto do Cristiano Ronaldo. Reconheço o seu mérito e o seu trabalho, que o colocou no topo do mundo do futebol, mas não consigo gostar dele. Acho-o arrogante e, por vezes, sinto que ele desrespeita os seus colegas de profissão. Ele pode continuar a ser o melhor jogador do mundo com um pouco mais de humildade e sem as declarações infelizes que por vezes dá. Não o vão respeitar menos por isso, pelo contrário.

Chateia-me que, quando se trata da Selecção, só falem do Cristiano, como se ele fosse o salvador da pátria. Ele joga sozinho? Não. Ele faz milagres? Não. Os outros jogadores da Selecção não prestam? Esses também não têm o seu mérito? Claro que têm. O Cristiano sozinho não faz nada, amiguinhos.

Ainda hoje, ao almoço, aconteceu a seguinte conversa:

Colega: Nós temos o nosso Cristianinho!
Eu: Nosso, não, que ele não me diz nada.
Colega: Não digas isso, que ele é português.
Eu: E os outros 22 que foram com ele, não são? E não é por ser português que eu sou obrigada a gostar dele. Há muitos portugueses por aí de quem eu não gosto.
Colega: Mas ele é o melhor jogador do mundo! Há que respeitar o trabalho dele.
Eu: Eu não disse que não respeito o trabalho dele, apenas disse que não gosto dele.
Colega: Oh tens de ser mais patriota!
...
Eu ri-me e a discussão foi continuando nesta onda. Estávamos quatro pessoas: duas que não gostam dele e outras duas que são, claramente, fãs. E os argumentos andavam à volta de "Porque ele é português", "Porque ele tem x Bolas de Ouro e y Botas de Ouro", "Porque ele tem uma visibilidade mundial que poucos têm"...

Conclusão: como não gosto do Cristiano, não sou patriota.

Comentários

  1. Olha, por essa ordem de ideias, eu também não presto para português. Que farão comigo? Manda-me para o Tarrafal, é?
    A bajulação que se faz a esse ser que, claramente, parou a evolução mental aos 5 anos até me faz urticária. Vai do comum dos mortais aos media, passando até pelas figuras mais importantes do Estado. E ai daquele que ouse dizer que o Messi é mais talentoso e melhor jogador que ele. Pode preparar as costas para umas merecidas vergastadas!
    Por estas e por outras, a Selecção a mim diz-me zero. Lamento a minha falta de patriotismo, ó iluminados da bandeira!

    ResponderEliminar
  2. Eu nem preciso de ir para o tema futebol/Cristiano Ronaldo para chocar as pessoas com a minha aparente falta de patriotismo.
    Primeiro porque não suporto a mentalidade tuga. Sofremos de uma grande falta de civismo e isso para mim, que sou incapaz de estacionar em cima do passeio ou da passadeira, provoca-me ataques de ira contra os burgessos que somos.
    Costumo dizer que tive azar: nasci aqui, tenho este corpo atarracado de latino, mas a minha alma é a de um gajo alto, loiro e civilizado (não confundir com os ingleses e russos, que são uns filhos da piiii)
    Quando vejo tantos louvores ao trabalho dos jogadores, pergunto:
    - Então e os outros? Aqueles que se levantam de madrugada para manterem o país a mexer, não merecem louvores? Aqueles que foram obrigados a procurar no estrangeiro o emprego que não encontraram na sua "amada pátria", não têm valor?
    Rais parta a cegonha que me largou aqui, que devia ter o GPS avariado. eheheh

    ResponderEliminar
  3. A verdade é que a culpa de todo o furor que criam à volta do Ronaldo não é culpa dele (ou em grande parte não o é). A própria CM social só o vê à frente; a própria CM acaba por esquecer os outros jogadores; a própria CM mete o peso em cima dele, como se ele fosse obrigado a resolver tudo. Aliás, pelo que tenho visto das CI do Fernando Santos, até ele mete a pressão em cima do CR7, só lhe falta mesmo dizer "ah, se os outros estiverem mal, o Ronaldo resolve." Mais, as pessoas/adeptos antes dos jogos metem essa mesma pressão em cima dele, para depois, quando ele falha, o tratarem abaixo de cão. Ele acaba por ser obrigado, a por vezes, ter uma postura meio arrogante. É uma forma de criar um muro e se proteger de todos os olhares e pressão a que está sujeito.

    ResponderEliminar
  4. Eu não sou patriota e não é por não gostar do Cristiano, que não me aquece nem me arrefece (tal como o resto da equipa e o futebol em geral). É mesmo porque acho meio parvinho sermos moralmente obrigados a amar um país onde nascemos por mero acaso :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito por aí, sim. Eu gosto de muitas coisas de Portugal, mas também detesto outras tantas. Não me defino como patriota ou "não patriota", apenas me defino pelo que gosto ou não gosto. Ninguém nos perguntou em que país queríamos nascer, por isso concordo totalmente com o que dizes! :)

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

O língua alemã e as suas declinações

A minha carteira até chora

Baby steps