02.05.2016, qualquer coisa que não volta, que voou

Estamos em plena semana de Queima das Fitas e esta será a primeira, desde que saí da faculdade, em que não irei marcar presença. O ano passado foi a minha 10ª Queima e decidi que seria a última. Porque foi aquela em que senti que já não fazia parte daquilo, que o meu tempo passou... (e que me senti quase como uma mãezinha daquela gente toda)

Como, mesmo depois de terminar o curso, continuei a ter amigos e colegas por lá, ainda consegui manter um pouco do espírito académico durante 3 anos. O ano passado olhei para a Queima como algo que, em tempos, representou uma das melhores semanas do ano (se não a melhor) mas que agora não tem o mesmo significado.

Ainda me lembro dos arrepios que sentia durante a Serenata Monumental, das lágrimas que invadiram os olhos quando ouvi a Balada de Despedida na minha última Serenata... De passar a última vez na tribuna e pensar "isto é a oficialização do fim daqueles que serão sempre dos melhores anos da nossa vida".

Apesar de me ter desligado das actividades académicas nos últimos anos que estive na faculdade (por falta de tempo e por situações com as quais não podia concordar), o espírito manteve-se sempre e recordo com muita saudade o meu ano de caloira, aquele que foi provavelmente o melhor ano que tive até hoje. Por isso defendo sempre que todos devem aproveitar ao máximo os anos na faculdade (sem descurar nos estudos, claro). São os melhores anos, se bem aproveitados.

Por isso, a todos os estudantes, uma óptima Queima das Fitas. Aos caloiros e aos finalistas... vocês podem tudo! ;)


(da Balada de Despedida)

Capa negra de saudade,
No momento da partida,
Segredos desta cidade
Levo comigo p'rá vida.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O língua alemã e as suas declinações

A minha carteira até chora

1 mês depois...