19.04.2016, são escolhas

Hoje o tema de conversa acabou nas depilações. Já nem sei como lá chegamos, apenas que acabamos a falar de depilação. Ora, um colega sai-se com a seguinte afirmação:

Parece que anda aí uma tendência, principalmente entre as raparigas mais novas, para andarem ao natural, sem depilação alguma. Parece que voltámos aos anos 70.

Eu não ando muito atenta a isso, mas por acaso não tinha reparado nessa tendência. A outra mulher que se encontrava presente disse que também já tinha reparado nisso.

Tal como depois acabamos por concluir, a depilação deixou de ser uma imposição da sociedade. Por muito que alguns digam que nunca o foi, eu bem me lembro de começar a pensar na depilação (ainda na adolescência) porque toda a gente sabia que “as mulheres não devem andar com pêlos grandes, isso é coisa de homens”. Óbvio que nunca me obrigaram a fazer a depilação, mas crescíamos com aquela ideia pré-concebida de que seria algo a tratar. Por muito sofrimento que me possa ter causado (maldita cera!), há muitos anos que faço a depilação porque quero e porque me sinto melhor sem pêlos. Não o faço porque “devo fazer” ou porque tive algum namorado que me dissesse que tinha de fazer. Nada disso. É uma escolha minha. E se há mulheres que optam por não fazer a depilação e se sentem bem assim, tudo bem. Estaria a mentir se dissesse que gosto de ver uma mulher com pêlos. Não acho bonito, mas defendo que deve ser uma escolha pessoal e não algo imposto pela sociedade ou seja por quem for. Também não gosto muito de ver homens cobertos de pêlos, mas nunca defendi que todos deveriam fazer a depilação (e se funciona de uma forma para as mulheres, deve funcionar da mesma forma para os homens).

Um dia ainda promovem uma campanha Free the Body Hair! (isto se já não existir)

Comentários

  1. Vou fazer o comentário mais chatinho da história da blogosfera, mas tem de ser, porque não tenho nada a acrescentar:
    Concordo a 100% contigo!

    ResponderEliminar
  2. Quem afirma que a depilação não foi uma imposição da sociedade deve morar na Lua ou sonhar com ladrões. Até nas coisinhas mais parvinhas as pessoas gostam de julgar, como ter sobrancelhas grossas.

    Já tinha reparado nessa onda de rejeição e, sinceramente, acho muito bem que as mulheres não tirem os seus pêlos se estão confortáveis com eles ^_^ São só pêlos, wtv.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Independentemente do gosto pessoal de cada um, sempre achei um bocado estúpido o facto de uma mulher poder ser estigmatizada por não se depilar.
    Afinal o que é natural é cada um viver com as pilosidades que tem. A depilação é uma imposição da sociedade.
    Quanto ao aspeto estético, penso que é uma questão de hábito. Antigamente (e mesmo em certos grupos étnicos de hoje), não se fazia depilação e não me parece que as mulheres peludas fossem menos atraentes.
    Também a depilação total é um pouco anti-natura, mas há quem goste, quem não goste e quem não se importe.
    São modas. :)

    ResponderEliminar
  4. Eu também sou assim, faço porque me sinto muito melhor comigo mesma, a nível estético mas também a nível de conforto, especialmente nos meses mais quentes.

    Estou a gostar de descobrir o blog :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

O língua alemã e as suas declinações

A minha carteira até chora

Baby steps