17.03.2016, cozinha de topo... ou não

Na última Restaurant Week eu e uns amigos aproveitamos para conhecer um restaurante que, em dias normais, não está ao nível de um orçamento mais “controlado”.

Dentro dos restaurantes disponíveis, a escolha foi feita considerando o menu e o local. Ao contrário de alguns restaurantes aderentes, que apresentavam um menu com apenas uma opção, o que escolhemos tinha quatro escolhas diferentes. E sendo que as opções pareciam prometer uma refeição agradável, isso foi o que mais pesou na decisão. Quanto ao local, também havia bastante curiosidade para conhecer, já que o restaurante fica nos dois últimos andares de um hotel. A sala do restaurante fica no penúltimo andar, com janelas que cobrem toda a lateral, e tem ainda um terraço onde imagino que será bastante agradável para beber algo num final de tarde de verão. O jantar não será a melhor altura para aproveitar a vista, porque não conseguimos ter uma visão nítida durante a noite. Ainda fomos espreitar o terraço, mas a noite gelada fez com que não estivéssemos lá mais que uns minutos.

Quanto à refeição em si, não achei nada de extraordinário. Para entrada, escolhi “salmão marinado em especiarias sobre folhas verdes, rebentos de soja e philadelphia”, que não era mais do que uns pedaços de salmão fumado por cima de umas folhas de rúcula e alface (nem me lembro de ver os rebentos de soja) e um pequeno pedaço de philadelphia, que era o que acabava por dar mais algum sabor. Para prato principal, escolhi “posta arouquesa com migas à minhota”. Costumo adorar migas, mas aquelas não me fascinaram. Para sobremesa, um “bolo de chocolate com creme de amendoim e mirtilos”, que basicamente era um petit gateu mediano (aqueles congelados, do Pingo Doce, são bem melhores) com um pouco de manteiga de amendoim (que combinava muito bem com bolo, verdade) e UM mirtilo. Não foram pratos maus, mas não foram nada de extraordinário. Estava com alguma expectativa e saí de lá desiludida.

Acredito que, com menus a 20€ (sendo que 1€ reverte para instituições de responsabilidade social), não se possa exigir o mesmo que comeríamos se fôssemos num dia normal, mas penso que um dos objectivos destas iniciativas é fazer com que as pessoas fiquem com vontade de lá voltar e experimentar o menu habitual do restaurante. E eu saí de lá a pensar “não volto aqui para jantar”. Mas tenciono voltar, no verão, para aproveitar o terraço ao fim da tarde. Isso, sim.

Comentários

  1. Pois, por vezes também é mais fama do que outra coisa!

    ResponderEliminar
  2. A verdade é que a Restaurant Week é boa para isso, para vermos que realmente existem restaurante que não merecem tanto dinheiro assim! E acredita que ouvi falar bem do espaço, mas à tarde e acredito que seja por causa da vista. Adorei o teu blogue, vou seguir :)) Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

O língua alemã e as suas declinações

A minha carteira até chora

19.09.2016, poderia ter sido dito por mim